Embrapa

Laboratório de Quarentena


O Laboratório de Quarentena “Costa Lima”, situado na Embrapa Meio Ambiente, em Jaguariúna, SP, é o único no Brasil credenciado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento para introduzir inimigos naturais e outros benéficos para o controle de pragas e outros fins científicos. Este laboratório interage com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (IBAMA) sobre processos de importação e exportação de agentes para controle biológico de pragas e outros. Coopera, também, com o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), através da Superintendência de Cooperação Internacional, Diretoria de Programas Especiais/CNPq, na consulta e parecer sobre a licença especial de coleta de material destinado para fins científicos em território nacional.
Foto: Eliana Lima

Os trabalhos do Laboratório de Quarentena seguem as normas e procedimentos quarentenários para o intercâmbio de organismos vivos para pesquisa com controle biológico de pragas, doenças, plantas invasoras e outros fins científicos, que foram aprovadas pela Portaria 74, de março de 1994, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) e pela Instrução Normativa nº 1, de 15 de dezembro de 1998 do MAPA, descrevendo a forma de encaminhamento das solicitações de organismos, e a avaliação das solicitações e as características gerais do material a ser introduzido. Também a Instrução Normativa n.º 16, de 29 de dezembro de 1999 aprovou as normas para cadastramento e credenciamento de estações quarentenárias para vegetais e organismos vivos.

O Laboratório “Costa Lima”, até 2005, realizou 241 introduções referentes a espécies de organismos benéficos, entre eles fungos, bactérias, nematóides entomopatogênicos, ácaros predadores, insetos parasitóides, insetos predadores, e outros microrganismos.

Várias instituições internacionais receberam também a colaboração do laboratório de quarentena em seus projetos de controle biológico, incluindo USDA, University of Florida, BBA, CIAT, CONAFOR, ENSAM-INRA, ICIPE e IITA, entre outras. Foram exportadas 30 espécies de organismos benéficos (19 insetos parasitóides, 10 ácaros predadores e 1 fungo), coletados em território brasileiro.

Foto: Eliana Lima

Todos os espécimes voucher de artrópodes, recebidos ou exportados, estão armazenados adequadamente na coleção do laboratório de quarentena e as de microrganismos estão armazenados na Fundação Tropical de Pesquisa André Tosello em Campinas, SP.

A maioria dos agentes introduzidos são insetos parasitóides para controle de insetos-pragas seguido pelos microrganismos. Todos os inimigos naturais introduzidos estão listados por ano, com as seguintes informações: identificação da espécie, finalidade, nome e endereço do requisitante, instituição interessada, origem e data do início e fim da quarentena.

Foto: Eliana Lima

As principais atividades do laboratório são: avaliação técnica de cada solicitação de introdução de organismos-benéficos no país; encaminhamento dos processos ao Ministério da Agricultura; desembaraço dos organismos nos portos de entrada; quarentena e avaliação dos organismos em laboratório quanto à segurança de sua liberação no campo; repasse dos organismos aos interessados; acompanhamento do andamento do processo após a liberação do organismo no campo por um período de 24 meses.

Uma documentação confiável e precisa de espécies de inimigos naturais introduzidos e estabelecidos no país é essencial para futuros trabalhos, não só de controle biológico como também para estudos de inventário de biodiversidade do país.

Importância da quarentena

O trabalho de quarentena é um trabalho técnico complexo, envolvendo a avaliação do risco que cada introdução representa ao meio ambiente, e o seu interesse para as condições brasileiras. Dessa forma, para reduzir o grau de subjetividade que as decisões sobre a introdução de organismos representa, até pela impossibilidade de conhecer todos os seus desdobramentos, a equipe do Laboratório recorre normalmente a especialistas da Embrapa Meio Ambiente e de outras Instituições, visando incorporar em seus pareceres o melhor conhecimento científico disponível em cada caso. O registro do intercâmbio internacional de organismos vivos realizado e aqui apresentado revela a real dimensão das ações respaldadas legalmente, considerando as atribuições do Laboratório “Costa Lima”. Informa, também, a origem e o destino de cada introdução e/ou exportação desses agentes biológicos, informação certamente valiosa para os envolvidos no assunto.

Foto: Eliana Lima

Voltar