Embrapa

Quantificação, distribuição e dinâmica do carbono orgânico

Quantificação da magnitude, distribuição espacial e dinâmica do carbono orgânico nos solos do Estado do Rio de Janeiro, usando técnicas de modelagem quantitativa, SIG e Base de Dados (Período 2001- 2002)

Após a assinatura em 1997 do Protocolo de Quioto, (UNFCCC ), o qual estabeleceu objetivos precisos a respeito dos níveis e de períodos-limite para a redução das emissões de gases a efeito estufa, diversas nações começaram a desenvolver pesquisas para reduzir as concentrações de CO2 da atmosfera. Neste contexto, o Brasil tornou-se um dos 150 países signatários da Convenção do Clima, onde cada país se comprometeu em conduzir um inventário nacional de fontes e sumidouros de gases ligados a efeito estufa (Schroeder & Winjun, 1995). Preocupações sobre o chamado "efeito estufa" e os danos à camada de ozônio, vêm sustentando estudos sistemáticos sobre as quantidades, tipos, distribuições e comportamento do carbono (C) em diferentes sistemas (Johnson & Kerns, 1991).
Embora o objetivo de muitos destes estudos esteja relacionado a impactos do potencial da mudança climática global, as contribuições têm aplicações em diversas áreas, abrangendo desde as fontes energéticas até a agricultura.

De acordo com Batjes & Sombroek, (1997), os solos do mundo constituem um dos cinco principais reservatórios de carbono, juntamente com os oceanos, da camada geológica, da atmosfera e da biomassa terrestre. Portanto, os solos são essenciais para o seqüestro de C e representam aproximadamente 75% do acúmulo de C no ecossistema terrestre.

Entretanto, apesar de sua complexidade e importância, tanto regional quanto nacionalmente, carecemos de estudos básicos que relacionem variáveis como estoque de carbono, sua distribuição na paisagem, fluxos e processos biológicos associados, que permitam a elaboração de cenários dinâmicos de mudanças de estoque de C associados a mudanças de uso, no tempo.

Este projeto propõe-se a atender tais demandas, aliando desenvolvimento científico e tecnológico de forma interdisciplinar e interinstitucional, através de técnicas de modelagem quantitativa (matemática, geoestatística, lógica fuzzy, redes neurais, entre outros), Sistemas de Informação Geográfica (SIG) e Base de Dados, em solos de ecossistemas florestais e em uso predominantes no Estado do Rio de Janeiro, além de incorporar ações objetivando a identificação de práticas de manejo que impliquem em um menor esgotamento de recursos naturais.

Este estudo possibilitará ao Estado ter um inventário do estoque de carbono nos solos, sua espacialização na paisagem, e sua contribuição na emissão de gases ao efeito estufa, principalmente CO2, antecipando e permitindo a implementação futura do Mecanismo de Desenvolvimento Limpo.
Finalmente, o projeto é relevante ao fornecer elementos para a elaboração de políticas públicas no âmbito da adequação do Estado do Rio de Janeiro às demandas dos Protocolos dos quais o Brasil é signatário.

Equipe Técnica

Maria de Lourdes Mendonça S. Brefin - Coordenadora
Alberto Carlos de Campos Bernardi
Alexander B. McBratney
Budiman Minasny
Carlos Alberto Silva
Edgar Shinzato
Ênio Fraga da Silva
Humberto Gonçalves dos Santos
John Edmund Lewis Maddock
Jorge Pimentel
José Francisco Lumbreras
Lúcia Raquel Queiroz Nogueira
Maria Bernadete P. dos Santos
Mauro da Conceição
Patrícia Duringer Jaques
Pedro Luiz Oliveira de Almeida Machado
Ricardo Luis Louro Berbara
Roberto O.P. Rossielo

Parcerias

Embrapa Solos
Rua Jardim Botânico, 1024
CEP.: 22.460-000, Rio de Janeiro-RJ
Tel.: (x21) 274-4999, Fax.: (x21) 274-5291

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro
Departamento de Solos
Antiga Rodovia Rio-São Paulo
23.970-197, Seropédica-Rio de Janeiro

Universidade Federal Fluminense
Departamento de Geoquímica/Inst. de Química
Morro de Valonguinho s/n Centro
24.020-007 Niterói, RJ, Brasil.

The University of Sydney
Department of Agricultural Chemistry and Soil Science,
Ross St. Building A03, NSW 2006, Australia.
TEL.: +61 2 9351 3214, FAX.: +61 2 9351 3706

Companhia de Pesquisa e Recursos Minerais - CPRM
Serviço Geológico do Brasil
Av. Pasteur, 404 - Urca
Cep:22290-240, Rio de Janeiro - RJ
Tel: (55 21)295-5337 e 295-5382, Fax:(55 21)542-3647
Ronaldo P. de Oliveira
Sonia Regina Alves N. de Sá
Agricultura e efeito estufa
Fontes Agrícolas de Óxido Nitroso (N2O)
Ações e Projetos
    Rede Agrogases
    Influência do manejo de produção animal sobre as emissões de metano em bovinos de corte
    Projeto Redugás
    Emissão de metano em sistemas de produção de arroz irrigado
    Interação Biosfera - Atmosfera em Ecossistemas Naturais e Agroecossistemas
    Quantificação, distribuição e dinâmica do carbono orgânico
Links
Calendário de reuniões e eventos

Voltar